Mulher: Carreira ou filhos, uma escolha difícil

Recebi há um tempo atrás um e-mail da ADFórum com esse texto que retrata o dilema difícil em que vivem as mulheres atualmente. No texto o foco são as arquitetas e as designers de interiores mas acho que se aplica a todas as mulheres profissionais liberais. Resolvi então postar para vocês.

MULHER: CARREIRA OU FILHOS, UMA ESCOLHA DIFÍCIL

Pode parecer anacrônica essa discussão no século 21 afinal, as mulheres respondem por 47% da força de trabalho. Mas o conflito entre o exercício profissional e a vida familiar aflige milhares de arquitetas e designers de interiores. É comum neste segmento a interrupção da carreira para dedicar-se à família e a posterior retomada da atividade anos depois. Esse hiato acontece por volta dos 28 aos 30 anos em média. Como a atividade profissional no setor é marcada pela micro- organização, extremamente dependente de um indivíduo, a parada (ou redução das atividades) significa deixar de atuar com intensidade. E a volta com total energia ao mercado de trabalho é difícil. Se a carteira de clientes não estava desenvolvida ainda a coisa pode ser crítica. No retorno, a competição é mais intensa e as oportunidades são poucas. O que fazer?

A vida é feita de muitas escolhas, o tempo todo. Somos resultado dessas escolhas. Ser feliz e estar bem consigo mesmo são estados emocionais criados a partir desse processo de avaliar e decidir. A declaração da executiva citada aqui mostra uma mulher focada na carreira. Suas decisões são pautadas por essa dinâmica. Provavelmente, ela está feliz (talvez bata aquele arrependimento por alguns momentos, pode ser). Como você agiria? Pensaria no presente (estar com os filhos) ou decidiria influenciada pelo futuro e sua realização pessoal? Difícil! Será possível preparar-se para esse momento? Veja algumas sugestões:

a) Comece avaliando a possibilidade de construir uma organização que sobreviva sem a sua presença em tempo integral. Se a sua filosofia é “one woman show”, e você se sente estimulada por isso, repense.

b) Sociedade pode ser um formato adequado, melhor ainda se for com alguém do sexo oposto (e se as duas sócias engravidam no mesmo momento?!). Buscar um sócio é uma arte! Em geral, queremos alguém como nós. Será isso mesmo o melhor? Que tal associar-se a alguém bem diferente, com habilidades complementares? Por exemplo: um sócio pode ser mais criativo e outro mais executivo. Uma boa escolha, não acha?

c) Ter sócio não era o que você queria? Bem, forme uma equipe, desenvolva a sua habilidade de delegar, fortaleça essa equipe. Formamos pessoas que nos abandonam e montam seus escritórios, eles não são fiéis. Essa declaração é bastante ouvida no segmento. Mas quanto você investe na criação de um ambiente empresarial que motive essas pessoas a continuarem com você? Que tipo de líder é você? Inspirador? Empreendedor? Feitor? Se as pessoas ao seu redor se sentirem parte da organização e vislumbrarem um futuro nela, elas vão ficar com você, especialmente, se sua liderança for do tipo empreendedora e inspiradora.

d) Implante sistemas informatizados de gestão do escritório que permitam a você controlar tudo de forma rápida e eficiente. A Internet revolucionou a forma de gerenciar. Qual a sua relação com esse ambiente? Ih! sou criadora por isso escolhi essa profissão. Controles, gerenciamento etc……que esforço!!

É… tempo de mudar.

Qual o seu projeto de vida? Não abra mão de seus sonhos, quaisquer que forem eles. Lembre-se: a expectativa de vida hoje no Brasil já é superior aos 75 anos. Então pense comigo: se você estiver infeliz aos 35 (ou mesmo aos 50) ainda terá muito tempo para continuar infeliz com suas escolhas seja porque fez algo, seja porque não o fez. Você decide!

ARTIGO EXTRAÍDO ADFÓRUM

Um comentário sobre “Mulher: Carreira ou filhos, uma escolha difícil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>