A obra de Oscar Niemeyer

Em tempos agitados de pós eleições, com os ânimos ainda bastante exaltados de muitos brasileiros, resolvi fazer esse post para enaltecer um brasileiro que realmente merece nossa admiração. Para isso selecionei algumas das muitas obras desse mestre arquiteto, Oscar Niemeyer.
SAOFRANCISCO
Igreja São Francisco de Assis – Pampulha
Em Belo Horizonte e inaugurada em 1.943 foi o último prédio do Conjunto Arquitetônico da Pampulha e considerado a obra-prima do conjunto. Nesse projeto, Niemeyer fez novos experimentos em concreto armado criando uma abóboda parabólica que até então só havia sido utilizada em hangares. Suas formas ousadas juntamente com o painel de Portinari onde um cachorro representa um lobo sentado junto a São Francisco de Assis levou as autoridades eclesiásticas a não permitirem por muitos anos a consagração da capela, ficando fechada ao culto por 14 anos.
Internamente a Via Crucis é obra de Portinari e externamente também tem painéis dele e de Paulo Werneck. Paisagismo de Burle Marx.

COPAN
Edifício Copan
Projetado na década de 50 com a colaboração de Carlos Alberto Cerqueira Lemos, teve seu projeto original encomendado pela Companhia Pan-Americana de Hotéis e compreendida entre edifício residencial de 30 andares e outro com hotel que abrigaria 600 apartamentos. Os 2 prédios deveriam ser ligados por uma marquise no térreo que teria garagens, cinema, teatro e comércio, porém apenas o edifício residencial foi construído.
Inicialmente o edifício residencial deveria ter 900 apartamentos, mas os blocos E e F que teriam amplitude com 4 dormitórios foram desenhados para quitinetes e apartamentos com 1 dormitório.
Hoje o Copan tem 1.160 apartamentos distribuídos em 6 blocos com 2.038 moradores e área comercial no térreo com 72 lojas além de cinema que é ocupado por igreja evangélica.

ALVORADA
Palácio da Alvorada
Designado como residência oficial do Presidente do Brasil, situa-se as margens do Rio Paranoá e foi o primeiro edifício inaugurado na Capital Federal em 30 de Junho de 1.958.
O formato diferenciado dos pilares externos deu origem ao símbolo e emblema da cidade, presente no brasão do Distrito Federal. A construção é revestida de mármore e vedada por cortinas de vidro. As famosas colunas são apoiadas no chão por um de seus vértices. O espelho d’água é complementado por esculturas: as banhistas de Alfredo Ceschiatti.

PALACIO
Palácio do Planalto
A inauguração do Palácio do Planalto em 21 de abril de 1.960 simboliza a transferência da Capital Federal para o centro do país.
A construção do prédio começou em 10 de julho de 1.958 e segundo as palavras de Niemeyer “leves como penas pousando no chão”.
O palácio tem 36.000m2 de área construída em 4 pavimentos do prédio principal e nos 4 prédios anexos.

CATEDRAL
Catedral de Brasília
Primeiro monumento a ser criado em Brasília, foi inaugurada em 31 de maio de 1.970.
Na praça de acesso ao templo existem 4 esculturas de Alfredo Ceschiatti em bronze com 4m de altura representando os evangelistas. No interior da nave estão as esculturas de 3 anjos suspensas por cabos de aço. O batistério em forma ovóide tem em suas paredes um painel em lajotas cerâmicas pintadas por Athos Bulcão em 1.977. O campanário é composto por 4 grandes sinos doados pela Espanha e a cobertura da nave tem um vitral composto por 16 peças em fibra de vidro coloridas entre os pilares de concreto, projetadas por Marianne Peretti em 1.990. O altar foi doado pelo papa Paulo VI e a imagem de Nossa Senhora Aparecida é uma réplica da original de Aparecida. A via sacra é de Di Cavalcanti. As passagens da vida de Maria foram pintadas por Athos Bulcão em um pilar na entrada da catedral.

MEMORIAL
Mão – Memorial da América Latina
O Memorial da América Latina é um centro cultural, político e de lazer, inaugurado em 18 de março de 1989 na cidade de São Paulo, Brasil. O conjunto arquitetônico é um monumento à integração cultural, política, econômica e social da América Latina, situado em um terreno de 84.482 metros quadrados no bairro da Barra Funda.
O complexo é constituído por vários edifícios dispostos ao longo de duas áreas unidas por uma passarela, que somam ao todo 25.210 metros quadrados de área construída: o Salão de Atos, a Biblioteca Latino-Americana, o Centro de Estudos, a Galeria Marta Traba, o Pavilhão da Criatividade, o Auditório Simón Bolívar (que sofreu um incêndio na tarde de 29 de novembro de 2013), o Anexo dos Congressistas e o edifício do Parlamento Latino-Americano. Na Praça Cívica, encontra-se a escultura em concreto, também de Niemeyer, representando uma mão aberta, em posição vertical, com o mapa da América Latina pintado em vermelho na palma.
“Poucos temas me deram tanta alegria ao projetá-los como o Memorial da América Latina. Primeiro pelo sentido político que representava. Reunir os povos deste continente para juntos discutirem seus problemas, trocando experiências, lutando pelos direitos desta América Latina tão explorada e ofendida. Depois, porque se tratava de um conjunto de prédios que, bem projetados, poderiam criar o que em arquitetura chamamos de espetáculo arquitetural.”
— Oscar Niemeyer

MUSEU
Museu de Arte Contemporânea
Foram necessários cinco anos para erguer a estrutura de quatro pavimentos, com 300 operários se revezando em três turnos. Para tanto, foram retiradas 5.500 toneladas de material em escavações e consumidos 3.200.000 m³ de concreto, quantidade suficiente para levantar um prédio de 10 pavimentos.
Com 16 metros de altura, o MAC nasce do chão numa base cilíndrica única de 9 metros de diâmetro que sustenta todo o prédio, ancorada numa sapata gigante de dois metros de altura. Um espelho d’água com 817 m² de superfície e 60 centímetros de profundidade, confere leveza à construção.
A cobertura circular, com 50 metros de diâmetro e área de quase dois mil metros quadrados, recebeu tratamento térmico e impermeabilizante.
A grande rampa externa de concreto vermelho conduz o visitante através de 98 metros de curvas livres no espaço, às entradas dos pavimentos superiores.
“Como é fácil explicar este projeto!
Lembro quando fui ver o local. O mar, as montanhas do Rio, uma paisagem magnífica que eu devia preservar.
E subi com o edifício, adotando a forma circular que, a meu ver, o espaço requeria.
O estudo estava pronto, e uma rampa levando os visitantes ao museu completou o meu projeto. “
Manuscrito da primeira versão do texto de 1996

Fontes:
wikipédia
www.copansp.com.br
www2.planalto.gov.br
www.macniteroi.com.br
www.catedral.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>